| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Leo Cunha - Literatura infanto-juvenil
Desde: 22/12/2003      Publicadas: 217      Atualização: 28/05/2015

Capa |  Biografia de Leo Cunha  |  Entrevistas  |  Fortuna Crítica  |  Galeria  |  Livro a Livro  |  Notícias  |  Oficinas  |  Opinião  |  Poemas Animados  |  Prêmios  |  Teoria  |  Todos os Livros  |  • Contatos


 Entrevistas

  15/05/2012
  0 comentário(s)


Saudade do era uma vez?

Entrevista à reporter Fernanda Carvalho, do Observatório Feminino.

Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever " inclusive a sua própria história. Bill Gates Por Fernanda Rodrigues Muitos acreditam que eles estão esquecidos. Que as crianças da era digital não tem tempo para viajar em suas páginas. Para sonhar com as histórias que eles contam. No mês de abril, é comemorado o Dia Internacional e Nacional do Livro Infantil, o primeiro no dia 02 e o outro no dia 18. Monteiro Lobato , Maria Clara Machado, Ziraldo e tantos outros , fazem parte da formação de muitos leitores que cresceram com as historias do Sítio do Pica Pau Amarelo e do Menino Maluquinho. Os primeiros livros infantis foram escritos por professores e pedagogos no final dos século XVII como mais uma ferramenta de aprendizagem. No Brasil dois séculos depois. Antes de eternizar as histórias no papel, assim como ainda acontece nos dia atuais, as histórias eram passadas de pai para filhos na base do Era uma vez e Foram felizes para sempre, além das histórias com fundo moral. O Observatório Feminino conversou com o premiado escritor, professor universitário e doutor em Cinema, Leo Cunha. Ele é responsável por quase cinqüenta livros infantis e juvenis. Observatório Feminino: Nós, adultos, temos fascinação por histórias infantis, elas fizeram parte da nossa formação. Você acredita que, com a televisão e a internet, os livros e as historias que a vovó contava foram deixadas de lado? Leo Cunha: Não foram deixados de lado, pois existem momentos distintos, no dia-a-dia, para a leitura, a contação de histórias, os games e a navegação na internet. Acredito na formação cultural variada, plural. Cabe ao pai propiciar e valorizar esses momentos. E ainda acrescento que a criança que passa o dia inteiro enfurnada com os livros também está perdendo outras oportunidades. Observatório Feminino: Como escritor e pai, qual a importância deste contato com o lúdico e deste exercício de imaginação para o desenvolvimento infantil? Leo Cunha: Acho fundamental o contato com a fantasia, a imaginação, o jogo. A literatura não é o único espaço para curtir estes elementos, mas é um dos mais ricos. Como pai, eu sempre fiz questão de ler para e com meus filhos, de contar histórias, de cantar com eles. E também de brincar, de exercitar o faz de conta. Observatório Feminino: Para os pais que não tem uma ligação mais próxima com a literatura, mas querem que os filhos vivenciem isso, qual o conselho? Como educar os filhos para a leitura? Leo Cunha: As crianças agem muito de acordo com os exemplos ao seu redor. Para um pai que não lê, não passa tempo com os livros, não tem livros em casa, é bem mais difícil criar uma criança leitora. Também acho importante visitar bibliotecas públicas e livrarias, para mostrar à criança os diversos espaços que o livro pode ocupar. Observatório Feminino: Porque a escolha da literatura infantil? Leo Cunha: Principalmente por uma influência familiar. Minha mãe é professora de literatura e tinha uma livraria de livros infantojuvenis, quando eu estava no fim da infância e início da adolescência. Eu frequentava quase diariamente aquela livraria, lia de tudo, e conheci a grande riqueza da literatura infantil, com seus vários gêneros, estilos, temas, personagens. Aquele universo me fascinou muito. E também me deu a oportunidade de conhecer muitos escritores importantes, como Orígenes Lessa, Sylvia Orthof, Ana Maria Machado, Bartolomeu Campos de Queirós, Elvira Vigna, Elias José, entre outros. Muitos eram editados pela minha mãe e ficaram amigos da família. E eu vi como os escritores, ou pelo menos a maioria deles, são pessoas interessantes, divertidas e comuns (muito diferente da aura de pessoas isoladas, fechadas, introspectivas, que se associa frequentemente aos escritores). Observatório Feminino: Hoje são quantas histórias? Leo Cunha: Minha primeira história foi lançada na revista Recreio, em 1991. O primeiro livro, propriamente, foi o Pela estrada afora, lançado pela Atual Editora em 1993. Tenho cerca de 20 anos de carreira, e nesse período publiquei muuuuitos livros: - Histórias infantis " cerca de 20 - Histórias juvenis " cerca de 10 - Poesia para crianças " cerca de 15 - Crônicas " 5 Também traduzi mais de 20 livros de literatura infantil e juvenil. Observatório Feminino: Como você acredita que será o futuro da literatura e da relação das crianças com os livros? Leo Cunha: Estamos num período de transição e muita incerteza. Muitas editoras e empresas de entretenimento têm apostado nos e-books. Com relação a eles, eu já vi muita coisa legal, mas a minha sensação é a de que, na maioria dos casos, a literatura (como arte da palavra) tem ficado em segundo plano e o aspecto do jogo (mais ligado aos videogames) tem prevalecido. De todo modo, acredito que a literatura infantil vai permanecer para sempre, mesmo se o seu suporte físico se transformar. Porque a essência da literatura está na sua capacidade de encantar, fascinar, entreter, emocionar e mesmo perturbar. Isso está nos contos, nos poemas, nos romances, nas crônicas, e não obrigatoriamente no objeto livro, por mais que eu seja um amante e colecionador de livros.



  Mais notícias da seção Literatura no caderno Entrevistas
28/05/2015 - Literatura - Entrevista ao programa Inconfidências
Entrevista sobre minha carreira, livros e ideias....
19/02/2014 - Literatura - Entrevista ao blog Leiturinhas
Leia a entrevista concedida à blogueira Carla Kühlewein, sobre minha carreira literária e, claro, minhas "leiturinhas" desde criança....
31/10/2013 - Literatura - Entrevista ao programa Universo Literário, da UFMG Educativa
Está no ar a minha entrevista à jornalista Rosaly Senra, na qual falamos sobre diversos livros (e põe diversos nisso!)- Haicais para filhos e pais (poesia)- Era uma vez à meia-hoite (contos)- O reino adormecido (teatro)Quem quiser ouvir é só visitar o link:www.ufmg.br/online/radio/arquivos/004239.shtml...
06/10/2013 - Literatura - Entrevista ao programa "Leituras", da TV Senado
Assista à entrevista na íntegra:...
08/10/2012 - Literatura - Entrevista para o Sobrecapa Literal
Fui entrevistado pelo Alex Gomes para a edição nº 20 do Sobrecapa Literal, jornal editado pela Ana Cristina Melo....
30/01/2012 - Literatura - Programa Panorama: a arte de escrever literatura infantil
Fui entrevistado no Programa Panorama, da TV Assembléia, em 25/01/2012. Assista à entrevista no site da ALMG...
19/09/2011 - Literatura - Entrevista para a editora FTD
Este mês (setembro de 2011) sou o entrevistado da revista Acontece, da editora FTD....
29/11/2009 - Literatura - Entrevista à TV UNI-BH
Nesta matéria, falo dos meus livros, das aulas e das minhas paixões....
03/07/2009 - Literatura - Espaço do Escritor (revista Direcional Educador)
Autor de livros com humor, ação, aventura, terror e poesia, o escritor Leo Cunha acredita na diversidade para atrair crianças e jovens para a literatura....
17/03/2011 - Literatura - Entrevista à revista Direcional Educador
Autor de livros com humor, ação, aventura, terror e poesia, o escritor Leo Cunha acredita na diversidade para atrais crianças e jovens para a literatura....
17/04/2009 - Literatura - Entrevista à Radio Unesp
No link abaixo você pode ouvir a entrevista que eu concedi ao jornalista Oscar D'Ambrosio, no programa Perfil Literário, da Rádio Unesp FM....
19/06/2008 - Literatura - Conversas no Sótão
Reproduzo aqui a entrevista que concedi ao escritor Marcelo Maluf, publicada em seu blog "Labirintos no Sótão"...
17/04/2006 - Literatura - Cada um encontra o seu caminho
Entrevista publicada em abril de 2006 pelo Jornal Laboratório Impressão, do Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH)....
23/01/2006 - Literatura - Entre o jornal e o livro
Esta ótima reportagem da jornalista Ariadne Lima, publicada na revista PQN e no site Cronópios, baseou-se em entrevistas com diversos escritores/jornalistas.Leia a matéria e também a minha entrevista na íntegra....
19/01/2010 - Literatura - Em olho fechado não entra estrela
Reprodução da entrevista que eu concedi à escritora e jornalista Rosa Amanda Strausz, do site Doce de Letra.Quando publicou sua primeira história, Em boca fechada não entra estrela, Leo Cunha tinha apenas 25 anos. Mas já trazia na bagagem dois prêmios importantes: o João de Barro e o prêmio de literatura infantil do Paraná. Dez anos e vinte livros...
19/01/2004 - Literatura - Leo Cunha: De viva voz
Reprodução da entrevista concedida à “Revista Latinoamericana de Literatura Infantil Y Juvenil”, publicada pelo Ibby Latinoamérica, em 1996....
24/12/2013 - Literatura - Histórias com um olhar de criança
Reprodução da matéria publicada no jornal "Estado de Minas" (23/08/03), a partir de entrevista dada ao jornalista Augusto Pio....



Capa |  Biografia de Leo Cunha  |  Entrevistas  |  Fortuna Crítica  |  Galeria  |  Livro a Livro  |  Notícias  |  Oficinas  |  Opinião  |  Poemas Animados  |  Prêmios  |  Teoria  |  Todos os Livros  |  • Contatos
Busca em

  
217 Notícias


Todos os Livros
 

Literatura

 

Livros por ordem de lançamento

 

Por título

 

Minha obra, de A a Z

 

Por ilustrador

 

Muito mais do que desenhos

 

Coletâneas

 

Bem acompanhado

 

Por gênero

 

Poesia, prosa, crônica e teatro