| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Leo Cunha - Literatura infanto-juvenil
Desde: 22/12/2003      Publicadas: 217      Atualização: 28/05/2015

Capa |  Biografia de Leo Cunha  |  Entrevistas  |  Fortuna Crítica  |  Galeria  |  Livro a Livro  |  Notícias  |  Oficinas  |  Opinião  |  Poemas Animados  |  Prêmios  |  Teoria  |  Todos os Livros  |  • Contatos


 Opinião

  23/12/2003
  0 comentário(s)


Estranhos no ninho de Milos Forman

Diretor olha com fascínio os gênios incompreendidos e atormentados

Estranhos no ninho de Milos FormanAndy Kaufman, Larry Flynt, Valmont, Amadeus, McMurphy. Alguém já deve ter notado que muitos filmes de Milos Forman trazem o personagem principal no título, alguns literalmente, outros de forma figurada (Andy Kaufman é o "homem na lua" e McMurphy é
aquele que voou sobre o ninho, nos títulos originais "Man on the moon" e "One flew over the cuckoo´s nest"). Não se trata de mero acaso: a obra do diretor tcheco é centrada, mais do que em ótimas histórias, em protagonistas fascinantes.

A coincidência não se limita ao título e nem ao fato de o protagonista ser homem. São todos - com a possível exceção de Valmont - estranhos no ninho, patinhos feios. São geniais, mas não se enquadram nas regras que delimitam a exposição dessa genialidade. São generosos, mas temperamentais e teimosos na tentativa de mudar o mundo que os cerca. São sedutores, mas agem de forma auto-destrutiva a ponto de seus reveses doerem na gente.

O grande achado de Forman é olhar com ternura e humanidade para esses sujeitos atormentados e enxergar neles muito mais do que o gênio indomável, excêntrico e incompreendido. Revelar o ser humano escondido ali atrás. Os defeitos estão todos na tela, os enganos, os vacilos, as dúvidas. Kaufman, incorporado meticulosamente
por Jim Carrey em "O mundo de Andy", nos arranca gargalhadas inesperadas, mas dá um show de arrogância quando desrespeita o gosto e a paciência do público. Um pouco como Larry Flynt na corte suprema ou Amadeus na corte do rei José II.

Ainda assim todos eles nos encantam, porque encantam ao diretor. O enfoque de Forman é simples e direto: ele não quer super-analisar
os personagens, rebuscar traumas de infância, nada disso. Quer entendê-los, coisa que eles próprios também estão buscando. Kaufman é um comediante inovador e surrealista, mas se diz apenas cantor e dançarino. Flynt é um comerciante nato, um visionário, um pornógrafo muito íntegro, mas se considera apenas um canalha de mau gosto. Mozart, compositor brilhante e requintado, mal se
dá conta de sua própria raridade, e age como um adolescente mimado, trapalhão e dono de uma gargalhada infame. Randle McMurphy é um criminoso, julgado e condenado, que revela no manicômio uma rebeldia quase infantil e só começa a compreender seu deslocamento ao enxergar, nos companheiros de ninho, gente tão lúcida e ao mesmo tempo tão louca quanto ele ou qualquer um do lado de fora.

Nos momentos de angústia, Kaufman recorre a gurus orientais, Flynt tenta se converter ao cristianismo (empurrado pela irmã do residente
Jimmy Carter), Amadeus também busca em Deus a saída, Valmont arrisca se entregar ao amor verdadeiro e dolorido. Forman acompanha essas tentativas como um cúmplice: não julga, não ataca, não defende. E continua ali, ao lado deles, quando as tentativas se frustram e o
que sobra é a solidão a dor, a doença, a morte.

Seria fácil fazer destes filmes obras didáticas, esquemáticas e maniqueístas, mas o carinho do diretor por seus personagens evita o risco. Mesmo o Valmont de Forman é mais humano e menos forte do que o mesmo personagem interpretado por John Malkovich, em "Ligações Perigosas", e talvez por isso mesmo o filme de Frears seja mais marcante. Ou talvez porque Valmont não seja um protagonista tão evidente, dividindo as atenções e com a Marquesa de Merteuil.

A relação afetuosa de Forman com seus personagens parece se estender também aos atores, que freqüentemente voltam para o ninho do diretor. "O mundo de Andy" recupera dois pacientes de "Um estranho no ninho":
Danny de Vito e Christopher Lloyd (que na época fazia sua estréia no cinema) e também traz um bis de Courtney Love, que estreou em "Larry Flynt". E a julgar pelas declarações apaixonadas de Jim Carrey pelo diretor, os dois também devem voltar em breve a trabalhar juntos.



  Mais notícias da seção Artigo no caderno Opinião
25/11/2011 - Artigo - A piscina de livros
Este meu artigo foi publicado na edição 33 da revista "Carta Fundamental" (nov/2011), na seção "Meu primeiro grande livro". Escolhi falar sobre "O Mágico de Oz"....
26/03/2004 - Artigo - Sylvia viaja e não sai de (nossa) casa
Crônica escrita em homenagem a Sylvia Orthof, na semana da morte, em julho de 1997....
17/02/2004 - Artigo - Uma escritora parecida com a gente
Artigo que escrevi sobre a obra da escritora Rosa Amanda Strausz, publicado na Revista Releitura, da Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte (BPIJBH), em fevereiro de 2004....
15/01/2004 - Artigo - Em busca de uma literatura infantil de qualidade
Este texto é um trecho do artigo “Literatura Infantil e Juvenil”, que publiquei no livro “Formas e Expressões do Conhecimento”, editado pela Escola de Biblioteconomia da UFMG em 1998. Traz algumas considerações sobre os livros infantis no Brasil....
08/01/2004 - Artigo - Um dicionário descontraído
Texto publicado em 1997, sobre o "Dicionário de Humor Infantil", de Pedro Bloch (Ediouro)...
24/12/2003 - Artigo - O que rola entre os livros e os bytes
Artigo publicado em 2000, a partir da já velha questão: a internet vai acabar com os livros?...
24/12/2003 - Artigo - Nick Hornby, um torcedor de alta fidelidade
Artigo sobre o livro "Febre de Bola", de Nick Hornby, um dos meus preferidos autores-pop, que também escreveu "Alta Fidelidade" e "Um grande garoto", entre outros....
24/12/2003 - Artigo - Parabéns a todas as Alices
Artigo publicado no centenário de morte do escritor Lewis Carrol, autor de "Alice no País das Maravilhas, na revista Presença Pedagógica, da Editora Dimensão...
24/12/2003 - Artigo - Buena Vista, ótima audição
"Buena Vista Social Club": veja o filme, ouça o disco, assista ao show, leia o livro (se é que foi publicado)...
23/12/2003 - Artigo - O autor e a escola
Artigo publicado originalmente no site Asa da Palavra, da minha amiga baiana Lena Lois....
23/12/2003 - Artigo - Publicar: verbo cronicamente inviável
Artigo publicado em 2000, sob o impacto do filme "Cronicamente inviável" e do fim da revista "Palavra"...
23/12/2003 - Artigo - Meu bate-papo com Cybelle.cjb.net
Este artigo, publicado em 2000, comenta um bate-papo que travei com uma mulher virtual...
23/12/2003 - Artigo - Artigos definidos e indefinidos
Esta seção reúne algumas idéias que publiquei sobre mídia, cultura e arte....



Capa |  Biografia de Leo Cunha  |  Entrevistas  |  Fortuna Crítica  |  Galeria  |  Livro a Livro  |  Notícias  |  Oficinas  |  Opinião  |  Poemas Animados  |  Prêmios  |  Teoria  |  Todos os Livros  |  • Contatos
Busca em

  
217 Notícias


Todos os Livros
 

Literatura

 

Livros por ordem de lançamento

 

Por título

 

Minha obra, de A a Z

 

Por ilustrador

 

Muito mais do que desenhos

 

Coletâneas

 

Bem acompanhado

 

Por gênero

 

Poesia, prosa, crônica e teatro